Vincent - Um solo de amor

quarta-feira, 10 de março de 2010

A resposta do Lilico

Sobre o texto “O estudo para a vida”, publicado em Bandeira Dois na semana passada, o Lilico – amigo citado – escreveu:

“Josiel,
Com a ajuda da minha filha, Clarinha, que vai muito bem na escola, respondo à sua coluna, na qual você me citou. Sou mesmo mal-humorado, Josiel, e também falo pelos cotovelos, como você disse. É herança do meu avô, que nunca foi pessoa de meias palavras e que sempre falou tudo que pensava sobre qualquer coisa. Acho que devo desculpas a você por ter ligado o ventilador na sua farofa, porque você está muito empolgado por ter voltado a estudar e a gente tem que entender isso. Não tinha pensado nisso dessa forma. A Clarinha, que gosta muito do jornal Aqui e lê toda semana a sua coluna, foi quem me chamou a atenção para isso. Estava meio bravo com a citação e ela disse que você tinha razão e que eu era chato pra burro. Aí, pensei melhor e cheguei à conclusão de que eu peguei pesado com você lá na casa do Oswaldo. Peço que você publique o meu pedido de desculpas lá no Aqui, mas quero que você publique outra coisa também. Pode dizer com as suas palavras se o meu jeito não ficar muito bom.

É que não soube dizer muito bem e aí fui grosseiro com você, mas, na verdade, eu penso aquilo mesmo. Ninguém gosta de dar oportunidades para quem já está mais velho. Tenho um monte de amigos, e você também tem, que eu sei, que passa até necessidade porque não tem emprego. Serviço a gente sabe que tem, mas emprego tá acabando. E a quantidade de concurso que só aceita quem tem menos de 30, 35 anos? A situação não é nada boa para quem já subiu a ladeira, Josiel. É isso que eu quis dizer quando falei que o mercado não quer saber da gente. Sei que o estudo é para a vida. Mas a situação não é fácil para quem já devia ter estudado quando era mais jovem. Na minha casa, dos meus nove irmãos, só a Teresa conseguiu estudar. E só porque o Roberto, marido dela, ajudou que ela é professora. Não é fácil voltar pra escola e por isso que estou escrevendo pra você. Parabéns e não me leve a mal. Aproveito para convidar você e a Violeta para comerem um franguinho com quiabo lá em casa no domingo. Lilico”.

Que tapa de luva, hein, Lilico!? Pois é. Aí, amigo leitor, depois de um e-mail desse, com um convite assim, não tive outra opção senão aceitar. Selamos a paz lá no Bairro União. O almoço feito pela Angélica, patroa do Lilico, estava sensacional. Violeta levou a sobremesa. Uma receita de um doce muito sofisticado que ela aprendeu na revista. O casal anfitrião, muito bom no carteado, fez a festa em cima da gente. No cair da tarde, as duas patroas pareciam amigas de longa data. Conversaram muito enquanto o Lilico me mostrava retratos de família e o desenho da reforma que ele vai começar na semana que vem. A Clarinha estava lá, feliz da vida com o encontro de paz entre amigos. Na segunda-feira, da boca do próprio Lilico, soube que tudo tinha sido ideia da Clarinha: o e-mail, o almoço e tudo. E que ele só teve o trabalho de assinar embaixo. Um beijo, mocinha. E que Deus ilumine ainda mais esses 9 anos de vida. Por tudo, obrigado!

Bandeira Dois - Josiel Botelho - 10/3/10

Nenhum comentário: