Fantástico - Vai fazer o quê?

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Diversidade em cena

Verão Arte Contemporânea comprova a vocação de Belo Horizonte para a pluralidade estética, apostando na convergência de linguagens. Programação vai até fevereiro, com preços populares

A casa lotada no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna, no sábado à noite, para a abertura da quarta edição do Verão Arte Contemporânea (VAC), confirmou a vocação de Belo Horizonte para a pluralidade. Pensadores e realizadores das mais diferentes áreas e inclinações prestigiaram o festival promovido pelo Grupo Oficcina Multimédia em parceria com o Mercado Moderno. Originalmente inquieto e agregador, o VAC traz novidades: literatura e gastronomia integram a programação.

De carona na intensa movimentação promovida pela Campanha de Popularização do Teatro e da Dança há mais de 30 anos, o Verão Arte Contemporânea vem ganhando força como alternativa para o público que não se contenta apenas com o que o sindicato dos produtores pode ofertar. Um achado de seus idealizadores, que, assim, ampliam a diversidade da criação local, oferecendo mais arte e mais substância com critérios bem diferentes dos adotados pela popular campanha. O sucesso de ambos os eventos mostra que, especialmente generosa nessa época do ano, Belo Horizonte tem espaço para todo mundo.

A montagem de abertura, Sonhos de uma noite de verão, do Grupo Oficcina Multimédia, que buscou em Shakespeare somente nome e inspiração, reuniu artes visuais, música, teatro e moda em espetáculo único de poder criador coletivo. Na proposta, o discurso-pretexto está apenas no que pode despertar o sensorial do espectador. A palavra, subterfúrgio comum, não encontra espaço na estética convergente de Ione de Medeiros, Paulo Beto, Adriana Peliano e Lucia Santiago.

Compartilhadamente, o grupo levantou trabalho de privilégios múltiplos com esse Sonhos de uma noite de verão: somou-se, logo no hall de entrada, a seus modelos adormecidos e à caixa cênica de transparências. Sob flores de papel – nascidas de árvores mortas –, a manequim vestida de noiva sonhava. As realizações se juntaram às imagens projetadas na parede e ao som ambiente ajustado à proposta de videoinstalação.

Por recomeço, em cortejo, o público – já parte do espetáculo – seguiu para assistir ao show da orquestra reunida para a ocasião. No palco, mascarados vestidos de preto, coreografados, pontuaram a cena com ironia. Arrebatador pelo conjunto. Foi assim o primeiro dia do VAC 2010.

No programa impresso e na internet, entretanto, questão de justiça: faltaram os nomes dos atores que fazem o chão de fábrica do Officina Multimédia. Apesar da grande rotatividade na companhia, não dá para deixar de valorizar operários de dedicação tão fora do comum.

No mais, é certo que o VAC veio para fazer diferença. Promissor, tem tudo para se firmar no calendário dos grandes eventos da capital mineira. Entre as boas opções, pelo trabalho já conhecido dos artistas envolvidos, vale conferir: Nove novos destinos; Luna Clara e Apolo Onze; DJ Luiz PF; Prato do dia; A mulher que ri; Duelo de MCs; Cia. Fusion de Danças Urbanas; John & Joe; Melda; Geraldas e avencas; Juliana Perdigão, Kristoff Silva e Rafael Macedo; Cheiro de chuva; Quase em silêncio; 1961-2010; De cujos; Q’eu isse; Cara preta; A casa; Sexo – ensaio aberto; Verão poesia; De peixes e pássaros; Faladores; Música argentina: tributos.



VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA

Amanhã

Artes visuais – Exposição Savoir forme, de Stéphane Vigny. Museu Inimá de Paula, Rua da Bahia, 1.201, Centro, (31) 3213-4320. Terça-feira, das 12h às 19h; quarta a sábado, das 10h às 19h; domingo, das 12h às 19h. R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia). Até 13 de março.


Quarta-feira

Música – Dokttor Bhu e Shabé Julgamento. Teatro Marília, às 20h. Avenida Alfredo Balena, 586, Centro, (31) 3277-6319.


Quinta-feira

Música – Grupo de Percussão do Cefar (Luna Clara e Apolo Onze): Fundação de Educação Artística, 20h. Rua Gonçalves Dias, 320, Funcionários, (31) 3226-6686. DJ Luiz PF, Grupo Porco de Grindcore Interpretativo: A Obra Bar Dançante, 22h. Rua Rio Grande do Norte, 1.168, Savassi, (31) 3215-8077.

Artes visuais – Exposição Savoir forme: Museu Inimá de Paula. Exposição Nove novos destinos: Instituto Inhotim, em Brumadinho, acesso pelo km 500 da BR-381. Quinta e sexta, das 9h30 às 16h30. Sábado, domingo e feriado, das 9h30 às 17h30. Informações e visitas agendadas: (31) 3227-0001, de segunda a sexta, das 9h às 18h, ou www.inhotim.org.br.

Teatro – Prato do dia:
Galpão Cine Horto, 21h.
Rua Pitangui, 3.613, Horto, (31) 3481-5580.

Ingressos custam R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia-entrada).
A programação completa está no site www.veraoarte.com.br.


Estado de Minas - Jefferson da Fonseca Coutinho - 11/1/10

Nenhum comentário: