Vincent - Um solo de amor

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Alice está de volta


"Alice ao avesso", da Querida Companhia de Arte, faz ensaio geral hoje no teatro João Ceschiatti, no Palácio das Artes. A estreia na boa casa intimista vai ser amanhã, às 21h. A peça é agrupamento comandado pelas atrizes e produtoras Ana Cândida Cardoso e Paula Sá (na foto, Alice e Coelho). Desde o ano passado, quando foi criado, o espetáculo caiu nas graças dos fãs de Lewis Carroll. Em janeiro, o professor e crítico de arte Marcello Castilho Avellar escreveu:


A lógica do absurdo

O romance Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll (1832-1898), pertence a uma categoria integrada por poucos membros. Mais do que contar uma história ou apresentar personagens e peripécias, propõe ao leitor uma lógica que pertence exclusivamente ao universo da ficção, que não finge ter vínculos objetivos com as lógicas do mundo real, e povoa-a com arquétipos. Talvez por isso sua adaptação para outras linguagens seja tão difícil, como verificamos recentemente no filme homônimo dirigido por Tim Burton. O espetáculo Alice ao avesso, que Jefferson da Fonseca dirigiu para a Querida Companhia, vence exatamente por compreender a singularidade do material em que se inspira.

Alice ao avesso não pretende simplesmente recontar no palco o livro de Lewis Carroll, nem explicá-lo. Na essência, aceita sua lógica absurda, assume seus arquétipos e verifica sua atualidade. Arquétipos, como entes do inconsciente humano, tendem à atemporalidade. Se no século 19 criaturas como Alice ou a Rainha de Copas falavam das contradições da Inglaterra vitoriana, no Brasil do século 21 elas continuam capazes de dizer algo, mesmo que este algo seja diferente do que era há século e meio atrás. Uma festa, música eletrônica, piadas e situações contemporâneas constituem o material colocado sobre a estrutura criada pelo autor. No processo, Alice ao avesso fala ao espectador tanto de seu tempo quanto do que ele divide com milênios de história humana, dos medos contemporâneos ao fascínio pelo desconhecido que parece inerente à humanidade.

É produção que confia mais no elenco que em recursos materiais. E os jovens intérpretes se saem bem, transformam em algo que parece ser deles a história escrita por outro e sonhada por muitos. Se não chega a fazer de sua precariedade material um manifesto estético, Alice ao avesso pelo menos é capaz de incorporá-la a certo clima de teatro underground que combina tanto com o espaço em que se apresenta – o Sesi Holcim é apertado, claustrofóbico – quanto com o clima onírico que propõe. O resultado é algo que consegue produzir desconforto mesmo enquanto diverte. (Marcello Castilho Avellar - Estado de Minas)

ALICE AO AVESSO
Estreia amanhã, dia 27/5. Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537). Ingressos na bilheteria a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Sextas e sábados, às 21h, domingos, às 19h.


Informações técnicas

"Alice ao avesso" é livremente inspirada na obra de Lewis Carroll – "Alice através do espelho" e "Alice no país das maravilhas" – e dá sequência ao trabalho de pesquisa iniciado pela produção em "Chovia, mas os ladrões não usavam guarda-chuvas" (2005-2006). No elenco, Ana Cândida Cardoso, Emílio Zanotelli, João Porto, Lílian Campomizzi, Paula Sá e Wallison Reis.

Alice ao avesso
Da obra de Lewis Carroll

Produção: Querida Companhia de Arte
Adaptação e direção: Jefferson da Fonseca Coutinho
Cenário e projeto de luz: Criação coletiva
Figurino: Ana Cândida Cardoso
Maquiagem e objetos de cena: Mauro Gelmini
Trilha sonora: Wallison Reis
Fotografia: Adriana Porto
Vídeo: Antônio Mourão

Contatos:
Ana Cândida – 3261-5605/8869-2808
Paula Sá – 9637-1416

Mais informações:
http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=160394,OTE&IdCanal=4
http://jeffersondafonseca.blogspot.com/2010/10/alice-ao-avesso-estreia-amanha.html

2 comentários:

MJFortuna disse...

Estou acompanhando os seus dois blogs.
Morando no Rio de Janeiro agora, tenho saudades de BH e tudo que se refere a esta querida cidade, eu leio como prazer.
Tenho gostado muito dos seus contos e crônicas. Tentei deixar um comentário por lá e não consegui. Ainda bem que estou conseguindo por aqui.

Um grande abraço

Maria J Fortuna

JFC disse...

Feliz com a sua presença, Maria! Beijo