Vincent - Um solo de amor

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Deus não cobra ingresso (2)

O assunto trazido aqui, na semana passada, rendeu. Foram muitos os comentários na praça, por e-mail e por telefone. Sei bem que religião é tema delicado e que merece respeito. Não se brinca com a fé das pessoas. Algumas igrejas é que parecem não saber disso. Abusam de fazer dó e vergonha. A pedidos, especialmente do Luís Eduardo e da Fátima Silveira, Bandeira Dois volta à questão. Não se trata, aqui, de espinafrar uma única seita ou grupo religioso. O que está em pauta é a mentira e a falcatrua. O desrespeito, muitas vezes, ao desespero do cidadão de bem, que só quer é sair do atoleiro, da situação difícil.

Sei de casos de doença. Dona Naná, com o filho muito doente, recorreu a tudo que é pastor, padre, médium e pai de santo. Gastou o que tinha e o que não tinha. Em vão. Perdeu o filho e o pouco que tinha percorrendo terreiros e templos de todo tipo e espécie. Também sei de testemunhos incríveis de pais com filhos nas drogas que foram salvos pelo apoio de bons pregadores. Já soube de padre pedófilo e de charlatão espírita, assim como picaretas que juram trazer amor e emprego em 10 dias. É muita desordem de informação numa só cabeça. Só mesmo o velho Botelho, papel e caneta para ajudar a aquietar os pensamentos. Volto a dizer: de tudo, a única certeza é a existência de Deus. Não somos acaso. Nossa fé, seja ela de qualquer natureza, faz toda a diferença.

Em quase 40 anos, posso afirmar, testemunho a presença de Deus em tudo o que é bom. Entendo apenas que Deus não pode gostar de quem mente ou faz teatrinho para faturar em nome de Jesus. Francamente, amigo leitor. Pense comigo: não estão à venda quartos no céu. Ajudar o próximo é de Deus e Deus acha bom. Mas não podemos permitir que ninguém abuse da nossa fé ou de nossa boa vontade. Com discernimento, devemos estar sempre alertas contra os falsários que só pensam em dinheiro. Devemos ter muito cuidado com a lavagem cerebral que bate carteiras. Não se compra paz ou prosperidade, sabemos. Só a fé, o estudo e o trabalho podem nos dar força para vencer desafios.

A morada de Deus é onde quer que estejamos, de coração puro e consciência tranquila. Quando somos muitos, então, reunidos, pode até ser melhor. Por que não!? Nada contra as casas honestas, levantadas pela comunhão de homens de boa fé. Desde que tudo, às claras, seja voltado exclusivamente para o que é de Deus. De resto, creio, todo o abuso dos que vendem os céus em nome do Senhor só serve a alimentar vaidades. Para todos estes ratos falantes, Salmo 38, amigo leitor.

Bandeira Dois - Josiel Botelho - 14/4/10

Um comentário:

Anônimo disse...

Mano blogueiro, só discordo de "de tudo, a única certeza é a existência de Deus. Não somos acaso". Uma certeza no âmbito do incerto, da fé. No mais, comunhão.
Walmir
http://walmir.carvalho.zip.net