Fantástico - Vai fazer o quê?

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Jack e a saudade do pai


Fala-se demais nas mães. Mas Jack (7) queria mesmo era passar o dia com o pai, Bob Wilson (30). Tanto que virou manchete na TV e em sites de notícias de todo o mundo: “Garoto de 7 anos dirige 30 quilômetros para matar a saudades do pai”. Apaixonado por carros desde bebê, Jack, de pijama, assumiu o comando do carrão e cruzou duas cidades nos EUA. Bom moço, só parou o veículo na beira da estrada para atender a orientação da rádio-patrulha. “Só quero ver meu pai, ‘seu’ polícia”, disse, ainda sob o cinto de segurança, ao oficial linha dura. Enquanto o pai era localizado, Jack ganhou carona até a delegacia para dar mais explicações. Era necessário. Afinal, isso não se faz. O xerife, balofo e bigodudo, assistido pelo auxiliar Billy, foi quem interrogou o pimpolho:

– Café, Jack?
– Toddy. Tem Toddy?
– Billy, um achocolatado para o nosso amiguinho.
– Obrigado.
– Então, você, Jack, queria ver seu pai.
– Meu pai é legal.
– Disso, não temos dúvida, Jack.
– Vocês conhecem o meu pai?
– Não... mas porque você não pediu a sua mãe para levar você?
– Eu pedi, mas ela tava muito ocupada.
– Seu toddy. Melhor deixar esfriar um pouco.
– Gosto quente.
– Ok. Então, Jack... você resolveu dirigir para ver o seu pai?
– Tô com saudade dele.
– Não chore, filho... Ele já vai chegar. Desde quando você dirige, garoto?
– Há uns três anos... mais ou menos...
– Você tinha 4 anos... é isso?
– Foi quando ganhei o campeonato de Need for speed.
– Need for speed?
– PlayStation. O videogame, o senhor conhece?
– Ah, sim... Claro! Need for speed. Quem não conhece, hein Billy!?
– Aí, aprendi. É fácil.
– Mas você não pode dirigir um carro de verdade, Jack. É diferente.
– Eu sei.
– Então, porque dirigiu, filho?
– Por causa do meu pai, já disse!
– Foi a sua primeira vez... assim, com um carro grande?
– Não. Já fui passear com a Mary algumas vezes.
– Mary?
– Sim. É minha amiga.
– E onde vocês foram?
– No bairro mesmo. Dar um rolé.
– E os pais da Mary? Eles sabem disso?
– Não sei. Acho que não. Acabei. Tem mais?
– Toddy?
– Sim.
– Mais uma caneca, Billy!
– Quero fazer xixi.
– Claro, Jack. O banheiro fica ali, ao lado da escada.

Nisso, Bob Wilson chegou para a alegria do pequeno Jack. Toda a repartição ficou encantada com o carinho entre pai e filho. O xerife os liberou na condição de que Bob voltasse para novas declarações, assim que o departamento de polícia americano soubesse o que fazer com a ocorrência.

Vida Bandida - Jefferson da Fonseca Coutinho - 27/6/11

3 comentários:

vanderleitimoteo disse...

Delícia de texto para esta segunda-feira e para todos os dias!

Cacá - José Cláudio disse...

É, Jefferson! Acho que isso nos aguarda muito em breve! rsrs. Ótmo! Abraços. Paz e bem.

Diário de Clarinine disse...

Delícia de diálogo, de toddy, de jack, de need for speed, de pai e abraço com filho. mto bom.