Vincent - Um solo de amor

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

As riquezas de Araxá

Não me causa nenhuma surpresa que as superpotências mundiais estejam de olho nas riquezas de Araxá. Documentos ultrassecretos, que vazaram pela internet na última semana, mostram que o nióbio – minério raríssimo, capaz de levantar foguetes – é assunto para estrangeiro graúdo. Não me espanta. Conheço bem Araxá e sei bem das riquezas e dos poderes daquele lugar. Da beleza e da educação de sua gente. Tenho passageiros em alta conta na região. Já provei dos doces e das águas de lá. O que realmente não dá para entender é a quantidade de gente que ainda não conhece o lugar. Vamos ver se agora, na crista da onda, o turismo ganha ainda mais força em Araxá. De resto, é teoria da conspiração. Falamos muito nisso, ontem, na faculdade.

Quem puxou o assunto foi o professor Fabrício, doutor antenado em economia internacional. O homem conhece mais de duas dezenas de países e, acreditem, nunca esteve em Araxá. Dá para crer? Só não pude zoar o nobre camarada porque na turma de 47 alunos só três estiveram na bela cidade do Triângulo Mineiro. Incrível. "Mas vou lá, Josiel. Em janeiro, vou passar uma semana lá, de férias com a família", disse. O professor contou que a maior mina de nióbio do mundo está em Araxá. Falou sobre a importância da reserva e deu verdadeira aula sobre a mineração e os avanços tecnológicos neste século. Grande professor Fabrício! Ainda não esteve em Araxá, mas sabe muito o doutor. Capricha na nota aí, fessô! Brincadeira.

Falei em teoria da conspiração por causa do Xavier. Meu colega na disciplina de comércio exterior – muito bom aluno, por sinal – é bem chegado na questão. Tudo para ele é espionagem e sociedade secreta. E Xavier, claro, é um dos três universitários da turma que esteve em Araxá. Aliás, tem motivos na cidade e, sempre que pode, vai lá matar a saudade de amor mal resolvido. Xavier acredita que entre os cidadãos araxaenses estão espiões interessados no nióbio. "Josiel, não escreve isso não. Quer dizer, pode escrever sim. Esse povo faz de tudo para obter informações sobre pontos assim, de interesse nuclear e espacial. Espiões profissionais podem passar a vida inteira sob disfarce. Li que teve um espião russo que viveu 60 anos como cidadão americano. Aí, velhinho, decidiu chutar o pau da barraca e contar tudo. Só que já estava num asilo e ninguém colocou fé na sua história. Só a repórter da revista".

Xavier é o cara. Ficaria rico se fosse roteirista de cinema. Agora, está desconfiado de um parente da namorada (?) em Araxá. Disse que o senhor tem tudo para ser espião. Parece estrangeiro, é muito misterioso e muito curioso também. Especialmente em relação aos segredos dos doces feitos na cidade. Já o nióbio… bem, o nióbio, segundo o Xavier, é assunto de espionagem extraterrestre.

Bandeira Dois - Josiel Botelho - 8/12/10

Nenhum comentário: