Vincent - Um solo de amor

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A vida a três

Texto e elenco fazem de Marido, matriz e filial peça que vale audiência pela Campanha de Popularização, em cartaz de segunda a quinta-feira, às 20h, na Sala Juvenal Dias, no Palácio das Artes. A comédia escrita pelo dramaturgo e poeta gaúcho Sérgio Jockymann, amarrada por roteiro inteligente e recheada de piadinhas originais que envolvem a vida a três, já é velha conhecida de quem acompanha o gênero no Brasil. Em Belo Horizonte, nos anos 1990, Pedro Paulo Cava reuniu Larissa Grau, Cláudia Assunção e Paulo Resende (impagáveis) numa adaptação marcante.

Na montagem atual, dirigida e produzida por Márcio Machado, nem a simplicidade dos sete pequenos cubos cenográficos, que desdobram marcações pouco criativas e enfraquecem a movimentação dos atores, dá conta de diminuir os acertos da obra de Jockymann. O texto sobrevive também a alguns excessos do figurino, por vezes, carregado para forçar a graça. Salva-se quando em vermelho, preto e branco. Já a trilha adaptada pelo próprio diretor, de bom gosto, enriquece a fé e a atmosfera do bafão. Caminhemos, de Herivelton Martins, é clímax no espetáculo.

Viviane Reis, Karine Terrinha, Ângela Lacerda e Sidney Scherman, à vontade, ajudam a plateia a desconsiderar os pecados da produção. Lander Braga, o marido infiel, tem naturalidade e carisma que o destacam. O ator trata sua personagem-eixo com comicidade espontânea e demonstra ter conhecimento do jogo esperto de interpretação proposto pela narrativa e respeitado pela direção. Três pontos de vista alinhavam a boa dramaturgia de Jockymann. Trupe e carpintaria de escrita são o que sustenta esse Marido, matriz e filial.

Marido, matriz e filial
Sala Juvenal Dias, Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro, (31) 3236-7400. De segunda a quinta-feira, às 20h. Ingressos: R$ 30 (inteira); R$ 15 (meia); R$ 10 (postos do Sinparc).

Estado de Minas - Jefferson da Fonseca Coutinho - 13/1/11

Nenhum comentário: