Fantástico - Vai fazer o quê?

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Carta aberta ao francês Olivier Rebellato


Olivier,

Você é garoto ainda e, ao que sei, cheio de vida. Aos 20 anos, endinheirado e saudável, tem o mundo pela frente. Muito triste o que ocorreu em 17 de abril, quando você dirigia seu carrão pela Savassi e mudou para sempre a vida de cinco jovens brasileiros. Especialmente o futuro da estudante de teatro Josiane Ramos, de 27, que, desde então, vive em estado vegetativo. Wenner Silva Gonçalves, de 24, motorista do outro veículo, também segue novo rumo, em cadeira de rodas. André Eduardo Magalhães, de 26, sofreu um acidente vascular cerebral. Naturalmente, você também é vítima dessa tragédia. Entendo assim. Acho pouco provável que esteja em paz depois do acidente.

A Justiça brasileira acreditou em você. Na sua honra e no seu compromisso. Tanto é que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) concedeu liminar que liberou o seu passaporte. Entenderam que você, por residir e ter negócios em Belo Horizonte, não deixaria o país para fugir de qualquer responsabilidade. Estavam enganados. Soube pela mídia que você desfez de tudo na cidade e foi embora. E o pior: sem oferecer o menor auxílio ou satisfação às vítimas da colisão que você provocou.

Segundo o advogado das irmãs Viviane e Josiane Ramos, Marcos Luiz Egg Nunes, você cometeu quatro infrações: avanço de sinal, dirigir em alta velocidade, dirigir em estado de embriaguez e, por fim, não tinha licença para dirigir no Brasil. Tudo devidamente comprovado por documentos e testemunhas. É lamentável. Nessa história triste, sinceramente, muita coisa não entra na cabeça de várias pessoas de bem que conheço. Conversamos muito sobre você. Como, simplesmente, virar as costas e voltar para casa, no estrangeiro? Li e ouvi que você até zombou de nossas leis. Uma meninice, imagino.

Sabe, Olivier, decidi dedicar este espaço a você num apelo. Não podemos voltar no tempo e mudar isso ou aquilo. Mas podemos agir no agora, com responsabilidade e juízo, pela paz de nossa consciência. Espero, sinceramente, que você tenha vida longa. Mas, se não fizer algo, sabe que os anos pela frente, certamente, serão marcados pelo que deixou de fazer. Faça por você mesmo, Olivier. Não queira passar o resto da vida sem poder se ver no avesso do espelho. Conheço gente assim que foi infeliz até o último suspiro. Pense nisso. A foto acima é de dia feliz, como era a Josiane.

P.S. Ao amigo leitor: Josiane Ramos, sem pai, nem mãe, passa por sérias necessidades. Quem puder colaborar de alguma maneira com fraldas ou alimentos, entre em contato com Moema ou Patrícia pelo telefone (31) 3269-3260.

Bandeira Dois - Josiel Botelho - 18 de novembro de 2009

2 comentários:

Patrícia disse...

Vocês tinham que postar pra ele a foto atual dela pra ele ver e sentir o que ele fez com ela, se é que esse monstro tem coração.

Sandra disse...

Este cara continua com a vida dele tranquilamente! É revoltante. Ele tem um restaurante. Que tal fazer uma campanha com os amigos dela para deixar um recadinho la para ele. Eu deixei o meu!
lexpress.fr ou la pizzeria la rebellato.