Vincent - Um solo de amor

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Genevieve, a boneca de Sete Lagoas



Helvis, mecânico, machão desembestado, já ouviu muitas histórias sobre os feitos de Madame Sicrana. De um lado, que a vidente é anjo caído, disfarçado. Do outro, dizem, ela é o diabo em forma de mulher feia. E ela é feia. Tem a mulher feia. Tem a mulher muito feia e tem a Madame Sicrana. Incrédulo, Helvis nunca levou a sério esse negócio de despacho, terreiro e encruzilhada. Dia desses, em conversa de botequim, ouviu de amigo: “O bilau do meu tio nunca mais subiu”. Desconfiado, reagiu: “Fala sério!”.

Tunin, o amigo, emendou a conversa: “Tô falando. Minha tia foi lá na madame e voltou muito estranha. Aí, numa sexta-feira, lá pela meia-noite, na esquina da minha casa, da janela do meu quarto, eu vi: minha tia sangrou uma galinha garnizé, esquartejou um pinto preto de pescoço pelado e embrulhou os pedacinhos numa calcinha branca, que ficou toda vermelha de sangue… Ela resmungava: “Zé, Zé! Zé, Zé!”. Zé é o nome do meu tio, irmão da minha mãe. Ele tinha fugido com uma colega de serviço. Um mulherão, uma indecência. Nunca vi mulher mais gostosa. Uma semana depois, a gostosona largou o tio Zé e saiu espalhando que ele era brocha. O cara se acabou. Tá na pior”.

Helvis, que acreditava ter resposta para tudo, não deixou por menos: “Vai vê seu tio já era boiola. Bicha-moça. Gilete. Era boneca, já gostava de dormir na caixa”.

Aquilo deixou Helvis pra lá de encucado. Então, o machão de Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, resolveu conhecer a madame. Marcou consulta e foi ver a macumbeira. O mecânico até molhou as calças só de ver Sicrana. Não de medo. De susto. Nunca tinha visto na vida mulher tão feia. Sicrana mandou na lata, logo que bateu o olho em Helvis: “Ce vai virá moça!”. Duzentos real!

Aturdido, Helvis pagou sem reclamar e deixou o endereço. O mecânico já saiu de lá mudado. Abandonou a oficina e virou dançarino de boate gay. Casou-se com Tonhão do caminhão e acaba de cortar o pingolim. Até nome novo ganhou: Genevieve.

Vida Bandida - Jefferson da Fonseca Coutinho

Nenhum comentário: