Fantástico - Vai fazer o quê?

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Exemplo em Belo Vale


Estive em Noiva do Cordeiro, em Belo Vale, na Região Central de Minas, a 100 quilômetros de Belo Horizonte e fiquei encantado pela família Fernandes, descendente de dona Senhorinha. Impressionante a beleza, a força e a educação da comunidade de 300 pessoas. Lá, todos vivem uns pelos outros. Não há espaço para a vaidade besta ou para as competições tolas. Menos ainda lugar para o egoísmo, a  culpa e a inveja, tão comuns nas grandes cidades. Em Noiva do Cordeiro, homens, mulheres e crianças são exemplo da vida em verdadeira comunhão. Passei poucas horas no lugarejo. Tempo suficiente para sair de lá transformado e rever a vida.

É preciso que o amigo leitor saiba que nem tudo sempre foram flores em Noiva do Cordeiro. Até pouco tempo atrás, toda a família Fernandes sofria horrores, vítima de preconceito. É que os mais conservadores condenavam a vida livre, longe das imposições das religiões. Mas isso é passado e, por força, coragem e determinação de quatro gerações, está enterrado. Belo Vale amadureceu e pouco a pouco parece ter aprendido que das lições de Deus as mais importantes são o respeito e o amor ao próximo. O fato é que poucas vezes na vida fui tão bem recebido quanto em Noiva do Cordeiro. E pelo que soube de amigos – homens e mulheres –, que já estiveram por lá, a simpatia é sempre de impressionar. As roupas e os artesanatos produzidos pela comunidade são de excelente qualidade e de muito bom gosto.

Além de bons lavradores, os moradores de Noiva do Cordeiro são também artistas de mão cheia. Não bastasse o talento para o campo e para a costura, há ainda, desde os anos 1990, a capacidade admirável para o canto, para a dança e para o teatro. Pude assistir pelo vídeo, em salão comunitário da família, algumas atuações e fiquei ainda mais admirado pelos filhos de dona Delina, de 67 anos. Almoçamos juntos comida caseira feita com o amor de quem sabe compartilhar. Fui na companhia dos amigos Beto e Amauri. Na volta, estrada de terra e asfalto, o assunto foi as lições aprendidas na comunidade. Na primeira oportunidade, faço questão de levar Violeta e meus filhos para conhecer a boa gente de bem de Noiva do Cordeiro. É assim que sempre quis criar os meus filhos: livres e felizes. Vida longa aos Fernandes! (Jefferson da Fonseca Coutinho)

Bandeira Dois - Josiel Botelho - 25/4/12
Foto: Beto Novaes

Nenhum comentário: