Vincent - Um solo de amor

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Depois do cinema, o 'Buteco'


 Ainda que eu prefira os cinemas, não dá para negar que o Comida di Buteco é uma beleza. Nesta edição, o queijo (foto) é o ingrediente obrigatório nas criações. Sábado passado estive com alguns passageiros entendidos do assunto. O chef Fábio José Pires, de 29 anos, conta com satisfação os 59 pratos vendidos na estreia do Bar Casa Velha. “Nas tranças da imaginação”, por R$ 22,90, feito com lombo, queijo, batata, molho de alecrim e cebola, fez a alegria da banda Timbalada, que compareceu à Rua Além Paraíba, no Bairro Lagoinha, depois de show pelo Axé Brasil. Só na primeira noite de festival, das 17 às 0h, a comerciante Márcia Moreira, de 45, calcula 400 pessoas na esquina de Rua Jequery, em ponto da família desde 1973. O prato do chef promete.

O vendedor de automóveis Marco Aurélio Gonçalves, de 43, acompanha o evento desde sua primeira edição, em 2000, quando eram apenas 10 bares, e diz que o melhor é o profissionalismo que existe hoje entre os concorrentes. “A cerveja agora é mais gelada e o tira-gosto é mais caprichado. Sem falar que o atendimento melhora e os banheiros nunca foram tão limpos”, compara. Reclamação mesmo só com os preços que, para ele, “estão cada vez mais salgados”. Com o livrinho do festival no bolso da camisa florida, estufada, o comerciante já se programou para viver verdadeira maratona até 13 de maio. “Primeiro, procuro prestigiar os estreantes. Tem muita gente boa, desconhecida”, diz.

No Bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte, parece Copa do Mundo para o Bar do Véio, campeão de 2007 e vencedor de higiene (2003 e 2004) e atendimento (2005). A tarde de sábado de sol é de casa cheia, gente bonita e exigente. Por volta das 15h30, mesa livre só mesmo na calçada da Rua Itaguaí. A estudante de Administração, Iara Silveira Rodrigues, de 22, saiu do Bairro São Geraldo para experimentar a mais recente invenção da casa: “Espetando Bolinha no Bar do Véio” – prato com almôndegas empanadas e espetinhos de frango com queijo.

Para Iara, o melhor deste ano é o queijo minas como ingrediente obrigatório. Luisa Duarte Pimenta, de 27, do Bairro da Graça, há três anos acompanha o festival e aprovou o prato do concorrente do Caiçara. A professora vê no evento grande oportunidade de valorização das “boas coisas de Minas”. Já para a estudante de odontologia, Bárbara Gonçalves, de 20, o melhor é que a competição apura não só a qualidade dos botecos, mas, também, o paladar da clientela, cada vez mais exigente. Violeta e eu já anotamos o endereço de 10 bares concorrentes. Vamos com os amigos conferir o que eles armaram para esta edição. Depois de um cineminha, claro.

Confira a lista completas da 13ª edição do Comida di Buteco 2012:
http://www.comidadibuteco.com.br/belo-horizonte/botecos/

Bandeira Dois - Josiel Botelho - 18/4/12

Nenhum comentário: